top of page
  • Tatiana Mattos

Soluções simples, grande otimização dos recursos

Aproveitamento da água da chuva reduz em até 40% o consumo de água no Vidya Ashram

O engenheiro ambiental Henrique Giacomini (CREA/PR - 103.332/D), identificou na sede mundial da Ordem Vidya, em Quatro Barras/PR, um grande potencial para captação e reutilização de água da chuva.


"No Vidya Ashram, temos diversos telhados, pois são construções separadas. Instalamos o sistema no telhado acima dos banheiros e vestiários coletivos, em que há uma boa área de coleta de água da chuva. É nesta construção onde há maior consumo de água. Toda a água da chuva captada pode ser reutilizada sem o uso de bombas elétricas sendo distribuída apenas pela força da gravidade, ou seja, sem nenhum impacto ambiental”, explica o Eng. Henrique Giacomini.


O sistema é bem planejado e também simples. Foi instalada uma calha coletora na altura de 2/3 do telhado, assim a água captada pode ir diretamente para a caixa d’água por força da gravidade. A água passa por um sistema de filtragem, em que são separados os materiais grosseiros, como folhas e pequenos gravetos, pois há muitas árvores no local. A água para uso nos banheiros sai da caixa d'água através de uma boia mangueira, sendo coletada sempre abaixo da superfície e acima do fundo, assim as impurezas que afundam ou flutuam permanecerão na caixa d’água até o procedimento de limpeza das caixas.



A água que abastece os vestiários é de ótima qualidade para fins de limpeza e balneabilidade. Não pode ser classificada como potável, pois precisaria ser enquadrada em padrões químicos regulamentados pelo governo”, esclarece Eng. Giacomini.


Caso haja um longo período sem chuvas, e a caixa d’água não seja abastecida por esta água, é acionado o preenchimento com a água da rua, que sempre permanece aberto, mas preenche apenas 1/4 da capacidade das caixas, como objetivo de evitar a falta de água. Porém, na cidade de Quatro Barras, onde fica o Vidya Ashram, essa situação é rara, uma vez que há chuvas regulares. A otimização foi tão grande que, após a instalação do sistema, já foi constatada uma redução de 40% no consumo mensal de água.


Em uma casa, é sempre necessário pensar na possibilidade de captar a água da chuva, nem que seja apenas para uso secundário (lavar carro, regar o jardim, etc.). Além de economizar água potável, também minimiza a quantidade que escorre para o sistema de drenagem da cidade, minimizando o risco de enchentes e erosão. Captar a água da chuva deveriam ser tomadas sempre que possível por todos os empreendimentos, independentemente do porte. O impacto é positivo não somente no meio ambiente, mas também na economia e na consciência.



O índice pluviométrico de Quatro Barras é de 1.500mm anuais em média. Na área de coleta, onde foi desenvolvido o sistema, é possível coletar até 144m3 por ano. No sótão, estão localizados dois reservatórios de 1000l e um de 500l, totalizando 2.500l de água de chuva armazenada. A coleta é feita por calha do tipo água furtada, desta forma, é possível direcionar a água diretamente para a caixa de distribuição. Após a coleta pela calha, a água é direcionada para um filtro de materiais grosseiros. O material retido é retirado da malha pelo escoamento excedente da água, que leva as impurezas pelo ladrão, cuja tubulação está conectada a este filtro. Ao entrar na caixa d’água, utiliza-se o chamado aerador, que evita que a fuligem decantada no fundo da caixa se revire. A água é coletada por uma boia mangueira, com orifícios para entrada da água. Nestes orifícios existem filtros de malha fina, para retirar eventuais impurezas e, assim, a água é distribuída por gravidade aos banheiros, sem utilização de energia elétrica.


“Ao cumprir seu tempo nesta vida, lembre-se de deixar este planeta melhor do que o encontrou; faça algo significativo para os outros, transforme as pessoas, torne-as mais alegres, relaxadas e conscientes! Esta é a missão de todos diante do planeta e da nossa vida!”
Mestre Uberto Gama

 

Para instalar este sistema em sua empresa ou condomínio, contate-nos | Saiba mais

Comments


bottom of page